Projetos colaborativos e inovação urbana

Três iniciativas concretas e prontas para mobilizar esforços em prol de cidades mais responsivas, de relações menos burocráticas e pela conciliação entre serviços públicos e privados. Foi o que o Rio de Encontros mostrou no dia 8 de setembro, quando abriu espaço para a o tema “Projetos colaborativos e inovação urbana”.

Para iniciar a conversa, uma questão que está na cabeça de muita gente: em que medida as tecnologias digitais e as redes de colaboração criativa  podem contribuir para o empreendedorismo e novos modelos de produção, que articulam arte e economia, no contexto da cidade?

resetembro

Marco Konopacki, Luisa Rodrigues., Teresa Guilhon e Julia Zardo / Foto: Roberta Voigt

Convidado para estimular o diálogo, um time de provocadores disposto a expor à plateia com quantos esforços se transforma uma cidade: Julia Zardo, gerente do Programa de Cultura Empreendedora do Instituto Gênesis/ PUC-RIO; Luisa Rodrigues, gestora de comunicação do site de financiamento coletivo Benfeitoria; e Marco Konopacki, cientista político e coordenador de projetos de Democracia e Tecnologia do ITS Rio.

Responsável pela mediação da conversa, Teresa Guilhon, coordenadora d’O Instituto, abriu com um questionamento pertinente: “Como cidadão e governo podem colaborar, em que nível isso pode ser recíproco? Quando a gente vai conseguir a governança de baixo para cima, já que, em última instância, é isso que se quer?”. Com a palavra, a seguir, os convidados.

Anúncios