Internet e as novas formas de mobilização e representação em debate

Plateia na abertura do Rio de Encontros 2016, na ESPM / Foto: Thiago Brito

Plateia na abertura do Rio de Encontros 2016, na ESPM / Foto: Thiago Brito

O Banco dos Irreais tem uma moeda valiosa que circula a despeito do capital como o conhecemos. O Mudamos conecta pessoas em torno de elaboração de políticas públicas. O Meu Rio mantém uma panela que faz pressão na caixa postal de políticos e de quem mais subverta a ordem que a cidade merece ter. Três iniciativas voltadas ao fortalecimento da cidadania tendo a internet como território essencial para a disseminação das suas práticas. Delas vieram os provocadores convidados para o primeiro Rio de Encontros de 2016, realizado no dia 28 de abril, no auditório da ESPM, no Centro do Rio: José Miguel González Casanova, artista plástico e educador; Fabro Steibel, professor do mestrado em Economia Criativa e da graduação da ESPM Rio; e Rafael Rezende, ativista e mobilizador de causas pró-Rio.

Com o tema “A internet e as novas formas de mobilização e representação”, o evento reuniu a nova turma de jovens realizadores que dará o ar de sua graça durante a temporada deste ano, alunos da Escola Superior de Propaganda e Marketing e gente interessada no tema vinda de instituições afins ou simplesmente pelo interesse em dar sua contribuição para o bom debate. Se o Rio é de todos, nada mais justo que manter as portas abertas para o encontro.

Para ver as fotos do encontro, CLIQUE AQUI

Mediado pela diretora acadêmica d’O Instituto, Ilana Strozenberg, o Rio de Encontros começou, claro, com boas-vindas e um aviso: os encontros têm lugares intercambiáveis. A plateia pode trocar o papel com os provocadores e vice-versa. “É sempre bom dizer ‘que a gente pretende, aqui, potencializar a riqueza que  só se encontra no enfrentamento de diferenças. Como é bom poder, efetivamente, dialogar”, reforçou Ilana.

A abertura é a hora também de agradecimentos e de reforçar parcerias. A ESPM, patrocinadora desde 2014, e responsável por manter o laboratório de comunicação aberto aos jovens do projeto para experiências com o uso de novas mídias. “Especialmente em momentos como esse que a gente está vivendo, de tamanha incerteza, o Rio de Encontros só ganha mais importância pela oportunidade de dividir e partilhar”, realçou a diretora da unidade Rio, Flávia Flamínio.

Anúncios