Isso é um Rio de Encontros

Ilana Strozenberg na abertura do Rio de Encontros 2013 Foto: Marco Sobral

Ilana Strozenberg na abertura do Rio de Encontros 2013 Foto: Marco Sobral

As boas vindas foram longas. Na abertura do quarto ano do Rio de Encontros, na terça-feira 16 de julho, a diretora d’O Instituto Ilana Strozenberg saudou a plateia, fez questão de lembrar a acolhida da Casa do Saber Rio, o patrocínio da Souza Cruz, o apoio do jornal O Globo, e de anunciar o que há de novo no projeto.

“Funcionamos durante três anos dentro de um determinado formato e, desta vez, mantemos a proposta de debater com pessoas diversas e com pontos de vista diferenciados. Mas temos uma turma de jovens convidada especialmente para participar. São formadores de opinião em espaços e territórios diversos da cidade. Todos atuam ou fazem parte de algum projeto, serão interlocutores dos nossos encontros e vão colaborar ativamente no projeto nos próximos meses”, disse.

O Rio de Encontros, que tem o debate como marca, veio diferente também para a estreia. Para marcar o início da edição 2013, a socióloga Maria Alice Rezende de Carvalho foi convidada a dar uma aula inaugural.

“A fala da Maria Alice tem a ver com a pergunta que é o mote dos nossos encontros neste ano: o que de fato está mudando em nossa cidade, para que direção e como podemos pensar a partir disso? Em vez de as pessoas começarem falando, faremos uma grande e vivíssima roda. Vamos colocar questões e as pessoas vão se posicionar acerca desses temas. No Rio de Encontros, todo mundo que está na plateia poderia estar aqui na frente”, explicou Ilana.

Silvia Ramos: retorno às origens Foto: Marco Sobral

Silvia Ramos: retorno às origens Foto: Marco Sobral

A cientista social Silvia Ramos, que também coordena o Rio de Encontros com Teresa Guilhon e Anabela Paiva, pontuou o reencontro do projeto com seu espírito original. “Um diálogo, muito mais que palestras. Sou especialista em violência e segurança pública e cidadania. Aqui, vim a debates sobre urbanismo, meio ambiente, transporte, religião, drogas e mídia. Mas éramos gente da Zona Sul e com mais de 40 anos. Que encontro é esse que só chega a Santa Teresa, no máximo? Cadê os jovens? Estão aqui“, ela apontou a plateia rejuvenescida e atenta.

“Isso é um Rio de Encontros: lugar onde se entrelaçam muitas vertentes, movimentos e instituições, como o Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec), Rio Como Vamos, Meu Rio, Fundo Carioca, Brazil Foundation, CPDOC?FGV, Instituto Light”, completou Silvia, que seguiu com a apresentação dos jovens para que todos os conhecessem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s