O que está mudando na cidade do Rio de Janeiro?

Jovens da Agência de Redes para a Juventude apresentam seus projetos no Rio de Encontros, em 2012 - Foto: Ariel Subirá

Jovens da Agência de Redes para a Juventude apresentam seus projetos no Rio de Encontros, em 2012 – Foto: Ariel Subirá

O momento não poderia ser mais apropriado. A cidade em ebulição, os jovens, em maioria, nas ruas, clamando por saúde, educação, administração pública transparente, muito mais que centavos. E é exatamente para eles que a edição 2013 do Rio de Encontros reserva um espaço especial e privilegiado, a partir do dia 16 de julho, na Casa do Saber. A nova série do projeto, que chega ao quarto ano, além de continuar a reunir o seu público de jornalistas, cientistas sociais, ativistas, acadêmicos, políticos e urbanistas, promoverá o diálogo privilegiado deste grupo e dos convidados para o debate com  20 jovens lideranças qualificadas das periferias.

“Os jovens deverão atuar como interlocutores dos debates, levantando e produzindo materiais sobre os assuntos abordados. O objetivo é estimular a participação e o questionamento por parte deles. Os temas abordarāo desde mobilizaçāo jovem até novas tecnologias e educaçāo, mas o mote central é o que está efetivamente mudando na cidade do Rio de Janeiro. E isso, claro, é uma pergunta”, diz Ilana Strozenberg, diretora acadêmica d’O Instituto, sobre a principal novidade que o Rio de encontros traz em 2013.

Fórum criado para estimular a busca de novos caminhos para uma cidade mais inclusiva, o Rio de Encontros pretende, assim, confirmar seu caráter não apenas de reflexão, mas também de ação em potência. “Além de espaço de troca, discussão e debate, será também de formação. Tanto que os jovens, selecionados e indicados por sua participação ativa em projetos de comunidades, receberão acompanhamento e certificação”, explica Ilana, que ressalta que os encontros continuarão a ser abertos a todos os interessados, mediante confirmação de presença por email.

Para a primeira sessão de conversa, a convidada especial será a doutora em Sociologia Maria Alice Rezende Carvalho,  coordenadora da pós graduaçāo em Ciências Sociais da PUC-RJ e da linha de Estudos da Cidade.

Serão, ao todo, cinco encontros, de julho a novembro. Os 20 jovens selecionados para participar de todos os eventos têm origens diversas. Vêm do Observatorio de Favelas, Agência de Redes para a Juventude, Norte Comum, Imagens do Povo, Regiões Narrativas, Redes de Desenvolvimenyo da Maré, Viva Favela, Parceiros do RJTV e ex-agentes da UPP Social. Formam uma turma que dá a volta na própria sorte, dribla a realidade das favelas e, sem deixar seus seus territórios, avançam em muitas direções.

Realizado por O Instituto, com patrocínio da Souza Cruz e apoio do Jornal O Globo, o Rio de Encontros acontece sempre numa terça-feira, das 9h ao meio-dia, na Casa do Saber. As portas estão abertas a todos e o convite feito, desde já.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s